O mundo vive buscando solução para retardar os impactos ambientais causados pela produção e pelo descarte massivo de diversos produtos, principalmente o plástico, que é usado na confecção de diversos itens como canudinhos e garrafas pets.

Pensando em criar algo autossustentável, o artista plástico Juan Muzzi iniciou uma pesquisa em 1998 que tinha com intuito de criar materiais para matéria prima, após diversos testes e aprovação do INMETRO e pantenteada na Holanda, Muzzi tem em mãos a primeira bicicleta de plástico do mundo.

 

Mais detalhes sobre a bicicleta de plástico

A bicicleta possui o quadro feito de plástico, que vem da reciclagem de garrafas pet. A bicicleta é feita sob encomenda, então para adquirir uma peça, você precisa entrar me contato com a empresa que atua em São Paulo, a Muzzi Cycles.

Por possuir diversos modelos feitos sob encomenda, os preços variam a partir de 680 reais, após encomendar é necessário esperar em uma fila para que ela seja finalmente enviada.

A bicicleta de plástico é mais resistente, flexível e mais barata. A resistência vem do fato dela não enferrujar igual as tradicionais, a flexibilidade está ligada ao material usado para produzi-la, pois o plástico já mais macio que o material tradicional.

A fabricação demora cerca de 2 minutos para ser finalizada e são necessárias 200 garrafas para ser feita.

 

Redução dos impactos ambientais

Com os recursos que temos hoje em dia, conseguimos reciclar: 15.840.600 kg de materiais plásticos, que são transformados em 132 mil bicicletas.

Isso evita que despejemos 5.738.227 kg de co2 na atmosfera, ou seja, a produção dessas bicicletas não influenciam no efeito estufa.

 

Como é produzida a bicicleta de plástico reciclado

Para se produzir a bicicleta o material plástico usado é cortado e triturado, até virar pequenos grãos. Após isso, os pedacinhos recebem adição de químicos que vão proteger o plástico da ação dos raios UVs.

Após isso, o plástico é jogado em um molde e depois de alguns minutos está feita a bicicleta.

 

Curtimos a ideia, será que veremos essas bicicletas com frequência rodando pelo Brasil e pleo mundo afora? Esperamos que sim!!