O distrito de Lavras Novas, localizado a 120 Km de Belo Horizonte e 17 Km de Ouro Preto, é um lugar ideal para descansar durante os finais de semana e feriados prolongados. O distrito tem uma pegada histórica, semelhante aos demais municípios do interior mineiro.

Com 1500 habitantes, a origem do distrito divide em duas histórias. Algumas pessoas acreditam que a cidade começou de um quilombo de escravos que fugiram de Ouro Preto, porém outras acreditam que o lugar possuía uma reserva aurífera imensa, com isso a concentração de escravos era grande.

Com o passar do tempo, o ouro foi acabando e os escravos foram abandonados pelos seus chefes, criando o distrito de Lavras Novas.

Independente da história, Lavras Novas é um lugar que há uma grande circulação de turistas, principalmente vindo da capital da terra do pão de queijo. Há turistas de primeira viagem, porém há muitos que estão visitando o lugar terceira vez, como é o caso da Rafaela Vidotti e seu namorado Saulo Henrique.

 

Leia também:

Off Road: O que fazer em Lavras Novas – MG

Ela e o namorado já foram três vezes para a cidade e contou que viveu experiências diferentes nas vezes que visitou Lavras Novas:

Primeira ida a Lavras Novas – Andamos de quadriciclo nos passeios principais, restaurantes mais caros. Lindo, mas cômodo.

 

Na segunda vez, conhecemos mais a comida local, passeio um pouco mais diferente indo a Santo Antonio do Salto.

 

Agora a terceira vez, resolvemos ir a pé, para curtir melhor a paisagem e ficamos muito surpresos com o que encontramos, comida mantivemos as locais e passamos no supermercado antes de ir. Bom e econômico.

 Rafaela descreveu a rotina nos dias em que ficou em Lavras Novas, dando dicas de como aproveitar melhor os passeios:

Primeiro dia: Cachoeira do Pocinho, pouco conhecida, pois só é possível ir a pé, mas existem placas que indicam uma das trilhas até ela.

 

Recomendamos ir pela trilha do final da rua da fonte(pausa importante para encher a garrafa de água natural de graça), a trilha é pela mata um pouco mais fechada(o que torna o caminho fresco em dias quentes), quase lá chega em um campo aberto, o tempo total é de 40 minutos, ida e volta.

 

A cachoeira tem vários pocinhos com diferentes quedas de água, alguns mais fundos sendo ideal para um mergulho e refrescar da caminhada.

 

No segundo dia de passeio, a curiosidade da Rafaela fez com que surpresas aparecessem no caminho:

No segundo dia: Essa foi uma grande surpresa, seguimos a trilha que indica o mirante(no final da cidade), fomos até ele, porém na volta, resolvemos dar mais atenção após uma ponte que passamos na ida.

 

 

Passando por essa pequena ponte(fique atento), sentido o curso da água observe uma trilha a esquerda. Nela você consegue chegar a primeira queda dessa água que passa debaixo da ponte, se quiser ficar ainda mais surpreso, uma trilha seguindo a queda d’água você se depara com uma paisagem, que com toda certeza, ganha das cachoeiras (três pingos e namorados).

Vocês que já foram para Lavras Novas, qual a sua opinião sobre o distrito? Vale a pena visitar várias vezes?