Se você gosta de cachoeiras e rios de águas cristalinas, encontrou o lugar certo para ir. Localizada em São João Batista do Glória, Minas Gerais (clique aqui e leia a matéria com mais informações sobre lá), a região conhecida por Paraíso Perdido e Pé da Serra são lugares que devem entrar em seu roteiro.

 Optamos por acessar a região pelo Pé da Serra. E o que isso quer dizer? Grande parte das cachoeiras da região do Canastra estão localizadas dentro de terrenos particulares. Com isso, pagar uma taxa de visitação ou um day use para conhecer os principais lugares deve ser algo já planejado pelos visitantes e turistas.


Pé da Serra e Paraíso Perdido são duas opções para conhecer um trecho do Ribeirão Quebra Anzol. Paraíso Perdido é o acesso mais conhecido e a taxa cobrada é de R$ 40,00*. No caso do Pé da Serra, que tem a entrada após o Paraíso Perdido, ou seja, em um trecho mais acima do rio, o valor é de R$ 25,00*.

*Valores referentes ao mês de janeiro de 2018, podem haver alterações.

É possível almoçar nos dois locais pagando um valor à parte, mas é sugerido ligar anteriormente para confirmar se será servido ou fazer uma reserva.

 Para chegar a qualquer um dos pontos é necessário pegar uma estrada de terra. A trilha tem um acesso fácil para jipes e 4x4. Em caso de carros comuns, há o risco de não passar em alguns trechos com valas maiores.

Saindo de São João Batista do Glória, até o local a distância percorrida é de aproximadamente 1h e 30 min, sendo uma parte por asfalto e maior parte por essa trilha. Mas vale muito a pena! Essa foto aqui embaixo não me deixa mentir!

Ao chegar na Pousada Pé de Serra, fomos muito bem recebidos. Lá preenchemos um termo de responsabilidade, realizamos o pagamento e recebemos uma pulseira de acesso, o que mostrou uma organização diferenciada.

 Pegamos nossa câmera, água e protetor e fomos explorar o lugar. A poucos metros da casa já é possível avistar um poço para banho, ideal para crianças ou para quem não pretende fazer caminhadas.

Como nenhum desses era o nosso caso, fomos descendo o rio e conhecendo outros poços e quedas d’água. Todo o caminho é sinalizado por setas no chão e nas pedras, ajudando o visitante a escolher os melhores locais para realizar as travessias.

 Apesar das marcações a caminhada deve ser realiza com muito cuidado e possui alguns pontos de maior grau de dificuldade. Por se tratar de um caminho com muitas pedras e, quando molhadas, serem extremamente escorregadias, a utilização de sapatilhas para canionismo ou tênis ajudam bastante. Um bastão de caminhada também é uma boa ideia!

 Fomos com roupas leves, com proteção UV da Base Brasil e usamos o tênis XA Pro da Salomon para que o nosso passeio fosse mais agradável. Água fresca também é um diferencial, para isso levamos a nossa garrafa térmica Chute da Camelbak.

Ao todo conhecemos 06 cachoeiras em nossa caminhada. Em um dos pontos é possível avistar duas quedas d’águas (2 rios distintos), separadas por uma rocha enorme. Além de uma outra queda já estar logo embaixo. Quando chegar ali pode escolher para onde olhar, todos os lados são incríveis.

Em meio dia de passeio você consegue conhecer tudo isso que falamos. Mas, quanto mais tempo disponível tiver, melhor!

 

 

Se você quer praticar seu esporte e descansar por ali mesmo ou está indo para o Parque Nacional da Serra da Canastra apenas para relaxar e curtir a natureza, na região são oferecidas diversas opções. Mas, a nossa dica de ouro é a Pousada Recanto do Lora.

Instalada no município de São João Batista do Glória, a Pousada Recanto do Lora é um ambiente familiar e agradável. Com um café da manhã de dar água na boca, a Pousada Recanto do Lora é com certeza o lugar para onde você deverá ir após um dia de trilha ou passeio com a família.