Dezembro é um mês corrido para a maioria das pessoas. Natal, Réveillon, confraternizações de final de ano. Em meio a esse turbilhão de coisas, tivemos uma surpresa boa e calma: Brumal.

Pensa em uma cidadezinha que o que tem de pequena tem de charme e aconchego.

Participamos do primeiro I Encontro Ciclístico Entre Serras, realizado pelo CAC (Centro de Apoio ao Ciclista), que movimentou a cidade em uma ensolarada – muito ensolarada mesmo – tarde de domingo. Teve corrida, bike, yoga, música, slackline, grafite e a nossa parede de escalada.

Uma feira de produtores locais completou e deu charme ao evento. Para entenderem melhor o clima da cidade, ela é daqueles lugares que as pessoas te cumprimentam, oferecem café e um banho para refrescar (beijos Dona Cidinha!).


Abaixo o vídeo do evento:

 

Além da cidadezinha em si já ser encantadora, a sua localização é perfeita. Próxima à vários outros lugares igualmente gostosos e atrativos, um final de semana na região é uma ótima dica de roteiro!


Onde está localizado?

Brumal é um distrito da histórica Santa Bárbara, município localizado no Quadrilátero Ferrífero, na região da Serra do espinhaço. O distrito, que é o mais antigo do município, foi fundado em 1704 pela Bandeira de Antônio Bueno.

  • Distância de BH: Aproximadamente 83 km

 


Sobre a história de Brumal

O povoado foi formado pelos bandeirantes no vale onde hoje fica o centro histórico do distrito e recebeu dos seus fundadores o nome de Brumado, devido a grande serração (bruma), comum na região durante o inverno, uma vez que fica ao pé da Serra do Caraça e próximo ao rio com o mesmo nome.



O nome Brumal foi oficializado em 1943, mas o local também já foi denominado: Brumado do Mato Dentro, Santana do Brumado e Barra Feliz.

A igreja de Santo Amaro teve a licença para a obra que foi solicitada em 1727 por Amaro da Silveira Borges, morador do arraial. Em 1730 a obra já estava a todo vapor. E é um charme!

Segundo arquivos, em 1837, o arraial contava com 1073 moradores e já possuía 173 casas. Hoje, o distrito conta com mais de dois mil habitantes e preserva de seu centro histórico vários monumentos, dentre eles: a Igreja, o Largo com o Chafariz ao centro, a Casa do Cartório e o prédio da escola velha, hoje o Centro Comunitário José Januário Câmara

 

Onde se hospedar?

A nossa dica de hospedagem na região é a nova instalação do Hotel Ímpar. Conforto, excelente café da manhã, ótima localização e preços acessíveis!

Esse hotel fica próximo ao trevo de Barão de Cocais na MG 436 e possui um atendimento e recepção diferenciados!

 

O que fazer em Brumal e Região?

 

  • Em Brumal

Em todos os anos no dia da festa de Santo Amaro – no primeiro domingo de julho – acontece a cavalhada de Brumal, que são festas que vieram da idade média e representam a luta entre Mouros e Cristão para conquistar a Terra Santa.

Na Cavalhada há desfiles de cavalheiros, corridas e jogos acompanhados por um conjunto musical. Dizem que o Sr. Jorge da Siva Calunga (morador do distrito) fez uma promessa a Santo Amaro e se a graça fosse alcançada faria em Brumal no dia da festa de Santo Amaro uma Cavalhada em homenagem ao santo, no ano de 1937. Desde então a cavalhada tornou-se folclore, e todos os anos a cavalhada está firme e forte para não ser esquecida.

Caso esteja em busca de momentos mais tranquilos, com a cidade mais vazia, indicamos almoçar em frente à praça principal que possui um chafariz com água potável e a Igreja de Santo Amaro.

 

  • Em Santa Bárbara

Cidade histórica do Circuito do Ouro de Minas Gerais, localizada a noventa e oito quilômetros de Belo Horizonte no centro da Estrada Real.

Aos pés da imponente Serra do Caraça, o local possui uma paisagem bucólica com suas igrejas, capelas e casas históricas. Pacata e tranquila, Santa Bárbara é um ótimo lugar para se visitar.

Cidade natal do ex-presidente Afonso Pena, é considerado um dos municípios mais bonitos de Minas Gerais e oferece como atrações turísticas algumas belas construções setecentistas, como a Igreja Matriz de Santa Bárbara. Construída em 1724, possui o estilo barroco colonial e seu teto é pintado pelo mestre Manuel da Costa Ataíde.

O centro histórico da cidade ainda reserva construções do século 19, como a prefeitura, o Hotel Quadrado, a antiga Cadeia Municipal, a Casa de Afonso Pena, a Igrejinha Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e a antiga estação ferroviária.

  • Em Catas Altas

A cidade já é motivo suficiente que merece uma ida. A igreja principal, o paredão ao fundo da cidade e o clima normalmente mais ameno são verdadeiros presentes para os aventureiros e viajantes.

Se está em busca de algo diferente, uma boa pedida é o Bicame de Pedra. O Aqueduto Bicame de Pedra foi construído por escravos em 1792, para captar água da Serra do Caraça até Brumado, onde o ouro era extraído e lavado.

Hoje ainda restam cerca de 100 metros do monumento. Uma escadaria incrustada na lateral do portal dá acesso à parte superior do aqueduto. Localizado a 12 km de Catas Altas

Quer mais? Que tal o Santuário do Caraça e as trilhas e cachoeiras da região? Mas essas dicas ficarão para uma próxima postagem! Nos vemos em breve!