Parque Estadual Ibitipoca Reabre Circuito Janela do Céu

Como bons aventureiros, que amam estar na natureza e em nosso estado, Minas Gerais, temos uma lista com vários lugares que queremos conhecer e atividades que queremos fazer.

Recentemente o Parque Estadual Ibitipoca, que estava fechado devido a pandemia, reabriu para visitação com público bem reduzido. Era uma ótima oportunidade de riscar um item da nossa listinha de desejos!

Antes de partir fizemos um levantamento de qual seria a melhor época para ir a Ibitipoca e nossa conclusão foi: Hoje, agora. Em cada época, verão, outono, inverno ou primavera Ibitipoca será um destino maravilhoso. E realmente, conhecer a região de Conceição de Ibitipoca, que pertence ao município de Lima Duarte – MG, no frio e sair da zona de conforto foi uma excelente escolha.

Fizemos nossa reserva para acessar o parque através do site institucional. Pesquisamos quais opções de trilhas e grau de dificuldade de cada uma, para definirmos nosso roteiro. Decidimos realizar dois circuitos: Circuito Janela do Céu e Circuito das Águas. Apesar de termos começado o dia pelo Circuito das Águas, vamos fazer esse primeiro texto sobre o mais procurado pelos turistas.

O Circuito Janela do Céu é o que possui maior grau de dificuldade por ser o mais longo do parque, totalizando 16 quilômetros de percurso. Fizemos o circuito em sentido anti-horário, para termos a altimetria favorável e desgastarmos menos na ida com muito subida. Essa é uma dica de ouro para quem também tem vontade de fazer o passeio para curtir e não apenas para treinar fisicamente para um trekking mais puxado.

O ápice do passeio, como o próprio nome diz, é a Janela do Céu, mas existem vários atrativos ao longo da caminhada!

Para quem quiser anotar, esses são os pontos principais do percurso:

  • Pico do Cruzeiro;
  • Gruta da Cruz;
  • Lombada, ponto mais alto do parque com 1784 metros;
  • Gruta dos Fugitivos;
  • Gruta dos Três Arcos;
  • Gruta do Moreiras;
  • Janela do Céu;
  • Cachoeirinha;

Nós levamos aproximadamente 2 horas e meia até a Janela do Céu, em um ritmo moderado, porém com pausas em vários dos pontos que citamos.

Quando chegamos ao local, a sensação é indescritível. Já havíamos visto várias fotos na internet, mas nada se compara com a energia de estar lá e ver com os próprios olhos.

O que também nos surpreendeu foi que ao olharmos para a esquerda, estava aquela incrível Janela do Céu (que não poderia ter outro nome!). E ao olharmos para a direita, uma linda formação rochosa que merece também a atenção, contemplação e fotos!

Ali nós ficamos por aproximadamente uma hora, admirando e recuperando as energias. Como comentamos em postagem anterior, recebemos da Pousada Meu Recanto uma bolsinha com um lanche para levarmos no passeio. Foi uma alegria a parte abrir nosso kit e depararmos com sucos naturais gelados, sanduiches e frutas.

 

Iniciamos nosso retorno descansados e animados. Porém, ao contrário do que vemos na internet na maioria das vezes, nem tudo é perfeito. A Roberta estava com muita cólica menstrual, o que deixou o retorno um pouco mais moroso. Por isso fica aqui uma dica para as mulheres que também sofrem com isso: Não deixem de levar o remédio que estão acostumadas a tomar com vocês!

Com paciência e cuidado seguimos em ritmo desacelerado. A volta possuía uma subida mais forte, porém não muito extensa no início e descida em quase toda sua totalidade. Os joelhos sentiram um pouco nossa falta de preparo físico, mas a beleza ao redor nos lembrava constantemente o porquê de estarmos ali. Sabe aquela frase “Ninguém disse que seria fácil, mas que valeria a pena”? É isso.

Importante lembrar que antes de fazermos o Circuito Janela do Céu, nós iniciamos pelo Circuito das Águas, que também é maravilhoso. Por termos escolhido fazer essas duas trilhas em um único dia estávamos mais cansados e finalizamos apenas por volta de 17:30. Quem tiver mais tempo e puder escolher, sugerimos fazer em dias diferentes para aproveitar ainda mais!

Ao final da trilha, duas alegrias: A gratidão por termos tido essa experiência e a satisfação de saber que estávamos indos para uma pousada aconchegante. Se sua dúvida é onde ficar em Ibitipoca e está procurando uma pousada, Meu Recanto vai lhe surpreender como fez conosco. Veja a matéria completa com mais detalhes e fotos!

Onde Hospedar em Ibitipoca? Pousada Meu Recanto!

Inverno, descanso, aventura, endorfina e conforto. É possível unir tudo isso em apenas um lugar? Sim! Vem com a gente que explicamos no caminho (risos).

Resolvemos aproveitar a reabertura do Parque Estadual de Ibitipoca, que estava fechado devido a pandemia, para fazer o famoso passeio até a Janela do Céu e sair da zona de conforto.

Foi realmente um desafio sair da zona de conforto no frio, acordando com a neblina tão forte que não enxergávamos um metro à frente. Mas dando um pequeno spoiler sobre o próximo texto: Foi difícil, mas valeu muito a pena!

Pra gente, parte fundamental para ter uma boa viagem, é a hospedagem. Nos hospedamos na Pousada Meu Recanto e ficamos apaixonados!

  

Um pouco mais sobre a Pousada Meu Recanto

Se está procurando por onde hospedar em Ibitipoca, já anota aí. Nossa hospedagem foi na Pousada Meu Recanto, que tornou essa viagem ainda mais especial e inesquecível.

Sabe quando você chega em um lugar e sente que todos os detalhes foram cuidadosamente pensados? Foi fácil ficarmos encantados assim que cruzamos a ponte sobre um pequeno rio que dá acesso a Pousada.

Chegamos no início da noite e fomos recebidos com muita atenção e gentileza pelo Jonathan. Somado ao ambiente acolhedor que vai desde a recepção até ao quarto, fomos nos surpreendendo a cada passo.

Nessa pousada existem vários formatos de quartos para hospedagem, cada um com seu charme e encanto. A suíte que ficamos era impecável!

Cama confortável, uma bela lareira (que além de bela foi muito útil!), ambiente rústico e delicado ao mesmo tempo. Ao chegar ao banheiro, uma grata surpresa com a presença de uma banheira retrô em um cômodo que, assim como o quarto, é espaçoso sem deixar de ser intimista.

 Para quem puder ir com mais tempo, vale a pena curtir a Pousada e sua área externa, que conta com uma bela área verde e piscina. Não tivemos tempo suficiente para aproveitar todos os ambientes, mas deixou um gostinho de quero mais.

Para ter energia para uma aventura, a grande dica é: Tenha uma excelente noite de descanso. E nós tivemos!

Após uma ótima noite, amanhecemos animados para o passeio. Mas antes, um belo café da manhã com frutas, pães, bolos e biscoitos caseiros. Também fazem ovos mexidos, omeletes e tapioca. Um destaque especial para o pão de queijo que fazem questão de assar na hora e é simplesmente maravilhoso! E um detalhe: A massa é feita pela equipe da Pousada. 

Agora sim, prontos para iniciarmos a trilha para Janela do Céu no Parque de Ibitipoca! E mais uma vez a Pousada Meu Recanto foi além das nossas expectativas: Eles oferecem um kit lanche para os hóspedes levarem para o passeio ao Parque. Incrível esse cuidado e zelo, né? O kit foi muito bem-vindo durante nossa trilha, que se estendeu por todo o dia.

Felizes, mas cansados, voltamos a tempo para um relaxante banho e descanso antes do jantar que havíamos marcado para às 20:00 horas no Recanto do Fondue. O bistrô tem acesso pela pousada e também possui porta para a rua, podendo ser apreciado não só pelos hóspedes.

Fechamos nosso dia com chave de ouro nesse jantar. Mas isso é assunto para outro texto, pois precisamos detalhar essa vivência gastronômica incrível!

Para fazer sua reserva em uma das melhores pousadas de Ibitipoca:

Pousada Meu Recanto

Endereço: R. Olga Silva Oliveira, 21, Lima Duarte – MG, 36144-000

Telefone e  Whatsapp: (32) 98409-8404

 

Sobre Conceição do Ibitipoca:

Sabe aquele município do interior de Minas Gerias, acolhedor e aconchegante? Bem, Conceição do Ibitipoca é assim e ainda melhor. Um vilarejo com aproximadamente 1004 habitantes (IBGE 2010), pertencente a município de Lima Duarte. Com a cultura de Minas, mas com um clima europeu, é perfeito para passeios e noites românticas.

Tirolesa é usada no resgate de Helicóptero em BH

A equipe Nerea de Resgate em áreas remotas realmente saiu da zona de conforto para realizar o resgate de um helicóptero Robinson Helicopter Company  que caiu em Belo Horizonte. 

O helicóptero que havia caído há alguns dias, estava com quatro tripulantes. Na ocasião o Corpo de Bombeiros de Mina Gerais foi acionado, e ninguém se feriu gravemente.

Veja a Matéria sobre a queda do Jornal Estado de Minas 

Mas então, o que o pessoal da Nera tem a ver com a história? Bom, eles não foram chamados para realizar o resgate das pessoas envolvidas no acidente e sim da aeronave que estava em um ponto de difícil acesso, em uma área de conservação ambiental. Veja o que o coordenador de resgate Nilton Nerea, nos contou:

“Fomos solicitados para esse resgate, pelo conhecimento que temos em áreas remotas, tirolesa, técnicas verticais, foi um resgate diferente do que estamos acostumados a atuar. Tivemos que sair da zona de conforto nosso para realizar esse resgate único”  


Para saber detalhes de como foi realizado o resgate do helicóptero utilizando tirolesa e técnicas verticais, veja a matéria completa em :
https://nerea.com.br/tirolesa-e-usada-para-resgate-de-helicoptero/

Conheça mais sobre a Nerea e sua equipe de resgate em áreas remotas.

TOP 03: ATIVIDADES DE AVENTURA

Após mais de um ano de pandemia, é natural que muitos de nós estejamos desanimados. Não é fácil acordar todos os dias e ser bombardeado por notícias ruins. Pior ainda para aqueles que perderam um dos seus (Nossos sinceros sentimentos!).

Mas, para conseguirmos continuar, um dia de cada vez, estamos focando em listas de coisas que iremos fazer quando for possível. Lugares para ir, comidas para experimentar. Em nossa última postagem, fizemos o “TOP 03: Destinos para conhecer e se encantar”.





Hoje o nosso Top 03 será das atividades de aventura que queremos fazer (ou refazer).

  1. Tirolesa no Mineirão

Sim, essa novidade é real. A tirolesa no Minerão, montada e operada pela Nerea, havia sido inaugurada no início de 2020. Com pouco mais de um mês de operação, precisou ser fechada devido a pandemia de Covid-19. Então, com certeza essa é uma tirolesa que queremos refazer, levando nossos amigos para sentir essa emoção com a gente. Nada como uma dose de adrenalina para nos sentirmos ainda mais vivos! Nesse texto abaixo, contamos um pouco da experiência.

https://saiadazonadeconforto.com.br/por-que-ir-na-tirolesa-mineirao/

  1. Travessia 4×4 na Serra da Canastra

Esse passeio foi surpreendente e inesquecível. Passamos alguns dias em São João Batista do Glória, um cantinho encantador próximo a Capitólio (Curiosidade: O cânion de Furnas fica no município de São João Batista do Glória, apesar de Capitólio ter ficado mais famoso!). Voltando a travessia, percorremos aproximadamente 60 km, sendo grande parte por cima da Serra. Imagem da vista panorâmica surreal! Só indo pessoalmente para entender. E tão bom quanto o caminho, foi a chegada: Cachoeira Casca D’Anta, a maior queda d’água do Rio São Francisco. Leia abaixo como foi esse nosso bate e volta.

https://saiadazonadeconforto.com.br/cachoeira-casca-danta-um-mergulho-no-rio-sao-francisco/

3. Rapel em Lavras Novas

Agora vamos falar de dois amores: Rapel e Lavras Novas, MG. E a mistura não poderia ser melhor. Uma caminhada deliciosa, com vários mirantes no caminho leva até ao mirante em que fizemos o rapel. E o nosso coração não sabia se acelerava pela adrenalina da atividade, ou se acalmava ao vermos um dos finais de dias mais lindos da nossa vida, com um pôr do sol maravilhoso. Não sabemos explicar em qual ritmo ele estava, mas as batidas com certeza eram de felicidade e gratidão. Veja as fotos dessa aventura no link abaixo.

https://saiadazonadeconforto.com.br/rapel-lavras-novas/

JABUTICABEIRA EM VASO COM FOLHAS CAINDO

Existem várias formas de sair da zona de conforto em nossa vida. Por aqui sempre falamos sobre viagens, passeios e esportes que nos ajudam a enfrentar desafios, conhecer novas culturas, novos lugares e nos tornam pessoas melhores.

Porém, desde março de 2020, quando iniciou os processos de isolamento social devido a Covid-19 aqui no Brasil, apenas seguir em frente a cada dia tem sido um verdadeiro exercício sobre sair da zona de conforto.

Criamos então, outras formas de termos novas experiências, sem precisarmos necessariamente sair de casa e nos aglomerar. Investir em árvores frutíferas em grandes vasos, foi uma das nossas invenções.  

Plantamos desde então três árvores: uma jabuticabeira, uma amoreira e um pé de laranja imperial (ou limão imperial). A primeira delas foi a jabuticabeira, que é nosso assunto aqui hoje.

Nossa jabuticabeira está perdendo folhas e muitas delas estão ficando com as pontas marrom. Procuramos em diversos sites, blogs e vídeos no youtube e encontramos informações bem variadas: “muita água”, “pouca água”, “solo com excesso de nutrientes”, “solo carente de nutrientes”.  Nossas duas outras árvores seguem saudáveis e superando nossa expectativa, por isso continuamos sem ter ideia do que possa estar prejudicando nossa planta.

Resolvemos postar essa dúvida por acreditar que muitas pessoas saíram da zona de conforte e fizeram um jardim ou uma horta em casa e podem estar passando pelo mesmo problema. Ou melhor ainda, já encontraram uma solução!

Consegue nos ajudar? Deixe um comentário, tenho certeza que será útil para muitas pessoas.

Aproveitamos e fizemos uma lista de dicas de arvores que podem ser mantidas em vasos em nossa região (Suldeste do Brasil) onde o sol é forte o ano todo e as temperaturas medianas para alta. Lembrando que frutíferas gostam de muito sol, então o ideal é que sejam colocadas na área externa da casa ou apartamento ou ao lado de uma janela que tenha muita luminosidade.

– Amora

– Jabuticaba

– Acerola

– Pitanga

– Limão, laranja e demais frutas cítricas costumam se dar bem em vasos

– Limão Imperial ou limão melancia– Muito usados como planta ornamental, pois suas folhas e frutos são um charme)

Gostou? Tem mais dicas? Deixe nos comentários ou nos envie um e-mail. 

Viver ou durar – Rapel em BH

Hoje vamos começar com essa pergunta: Você quer viver ou durar? Não queremos dizer que para viver você precisa se arriscar ou abrir mão da segurança, e sim que você deve sair da zona de conforto e viver a vida.

“Você quer viver ou durar?”

 Escutamos essa frase de um amigo quando estávamos fazendo um rapel negativo de aproximadamente 40 metros de altura em Belo Horizonte na conhecida. Na hora foi um estímulo muito grande para iniciarmos o rapel e, depois da primeira descida, uma grande inspiração para descermos mais vezes. Queríamos VIVER, aproveitar cada segundo daquela aventura. 

Em nenhum momento deixamos a segurança em segundo plano, pelo contrário, durante todo o tempo os instrutores estavam atentos a tudo e a todos. Utilizamos equipamento de rapel certificados, como mosquetão, freio oito, freio stop, freio rig, capacete, cadeirinha, luva etc. Ou seja, todo material para a prática segura do rapel.

Viver o rapel de 40 metros em um feriado em BH e se sentir vivos foi único para nós.

Queremos durar o quanto for permitido, mas vamos viver cada dia, cada momento. Não podemos deixar que a vida passe para no final percebermos que duramos, mas não aproveitamos, não vivemos.

Sair da zona de conforto é viver! Aproveite cada momento único de sua vida!

Obrigado a todos que estavam presente neste momento.

Leia também:

O que é rapel?
04 Lugares incríveis para fazer rapel em BH e região
Equipamentos de rapel em BH