CONHEÇA UMA DAS ROTAS MAIS PERIGOSA DO MUNDO

A trilha Caminito Del Rey é um trekking que foi construído em um penhasco e tinha uma estrutura bem simples, precária e perigosa, porém tinha que ser usada diariamente por vários operários de uma hidrelétrica para transportar os materiais,  fazer vigilância e manutenção.

Graças a essa infraestrutura, o caminho era considerado o segundo mais perigoso do mundo, ficando atrás somente do trekking Huashan na China. 

Caminito Del Rey

Esse percurso está localizado na província de Andaluzia, em Málaga e foi inicialmente projetado como caminho para que os trabalhadores da usina hidrelétrica conseguissem realizar funções focadas na usina. 

Vale ressaltar que é um caminho centenário e começou a ser construído em 1901, sendo finalizado apenas em 1905.

Após a dissolução da hidroelétrica, o Caminito Del Rey foi abandonado, comprometendo a estrutura e deixando o caminho sem qualquer segurança.

Depois, o percurso começou a ser usado como rota turística, mas a falta de estrutura resultou na morte de alguns turistas, fazendo com que o percurso fosse fechado em 1999.

Depois de 12 anos, em 2011, o governo da Andaluzia fechou um acordo para restaurar o trajeto, deixando-o estruturado para evitar acidentes.

Após um investimento de 9 milhões de euros, o trajeto ganhou estacionamento para os visitantes, iluminação e museu. Toda essa revitalização demorou três anos e o Caminito Del Rey foi reaberto em 2015.

A reforma substituiu as prateleiras de madeira por placas de concreto e ganharam guarda corpo, para minimizar possíveis quedas.

O caminho não é tão exigente, mas é preciso ter muita coragem para atravessa-lo! Segundo alguns contos locais, há duas versões sobre o rei quando ele inaugurou esse trajeto.

A primeira fala que a majestade completou ele por inteiro, já a segunda relata que o rei não teve coragem de atravessar o trajeto.

E você, teria coragem? Lembrando que, atualmente, o caminho está todo estruturado!  

06 parques incríveis para visitar em MG

Minas Gerais é um estado conhecido pela paisagem montanhosa. Repleto de cachoeiras, chapadas e uma grande biodiversidade, com sua natureza exuberante.

E para manter nosso Estado com toda essa beleza conservada existem, entre outras coisas, diversos parques que são na verdade unidades de conservação (UCs).

Isso quer dizer que grande parte das belezas naturais que temos está protegida por lei em áreas preservadas por possuírem características ambientais importantes para a sociedade e para a natureza. 

Quer ajudar a defender a natureza? Que tal começar visitando essas unidades de conservação?

Dessa maneira, é possível ver de perto a diversidade da fauna e da flora, conhecer a estratégias utilizadas na conservação dessas áreas, desfrutar da experiência de se ter contato com o ar puro e com todas as belezas e a tranquilidade que esses espaços proporcionam.

Ocupando essas unidades de conservação, as pessoas mostram ao poder público que faz sentido investir no cuidado com esses espaços. 

Vamos ajudar falando um pouco sobre seis desses parques. Bora já preparar o roteiro para as férias de final de ano?

PARQUE DO ROLA MOÇA

A área protegida está localizada na Região Metropolitana de Belo Horizonte – incluindo os municípios de Nova Lima, Ibirité e Brumadinho.

É o terceiro maior parque de área urbana do país com 4 mil hectares, o equivalente a 5.611 campos de futebol.

Esse parque, situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, é o habitat natural de espécies da fauna ameaçadas de extinção, como a onça parda, a jaguatirica e o lobo-guará

Outra boa surpresa do Parque do Rola Moça é a possibilidade de ver um lindo pôr do sol. Para isso, há diversos mirantes.

Mas até chegar o final do dia, muita beleza e diversão pode ser encontrada em trilhas e cachoeiras, que possuem uma boa estrutura para receber os visitantes.

Endereço: A entrada do Parque fica na Av. Montreal- no bairro Jardim Canadá, em Nova Lima. O telefone para mais informações é (31) 3581-3523. 

PARQUE DO SUMIDOURO

Esse é um dos nossos preferidos. Para quem também curte aventura, o Parque conta com diferentes opções de escaladas e trilhas guiadas. Durante a caminhada, é possível sentir a umidade típica de uma vegetação que mistura Cerrado e Mata Atlântica. 

E tem muito mais! Além da natureza e dos esportes radicais, um pedaço importante da história de Minas Gerais está guardado por lá.

Um exemplo é a Casa Fernão Dias, um patrimônio cultural tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) que faz parte do espaço.

Quer mais? O Parque do Sumidouro tem! Lá existem 53 cavernas e 157 sítios arqueológicos.

Na Lapa do Sumidouro, por exemplo, é possível ver de perto as pinturas rupestres, com registros feitos por quem vivia em harmonia com a natureza selvagem há milhares de anos atrás.

Portaria Museu Peter Lund / Gruta da Lapinha: (31) 3689 8592 / (31) 3689 8585 / (31) 3689 8575 / (31) 3689 8037

Endereço: Rodovia AMG 0115, estrada Campinho-Lapinha, Km 6. Lagoa Santa / MG

PARQUE DO ITACOLOMI

Piscinas naturais, quedas d’água, e muita diversidade de animais. Essa unidade de conservação é mais uma daquelas que tem a natureza como maior triunfo, mas também tem muita história.

Quem sobe até o pico, uma caminhada de pouco menos de duas horas a 1700 metros de altitude, pode ver lá de cima um amplo horizonte. Alcançando as cidades de Ouro Preto, Mariana, a represa de Lavras Novas e até uma parte da Serra do Caraça. As trilhas são autoguiadas, com sinalizações durante todo o caminho. 

Quem visita o Parque também pode conhecer o Museu do Chá, situado na antiga Fazenda José do Manso, lugar conhecido por ser polo produtor de chá na primeira metade do século XX. 

O Parque também abriga o complexo de cachoeiras da Serrinha com lindo cenário, quedas d’água e piscinas naturais onde o visitante poderá se banhar e contemplar a paisagem.

Endereço: O Parque está localizado na BR-356, Km 98 – Bauxita, Ouro Preto – MG, 35400-000. Para mais informações é só ligar (31) 3551-6193 

PARQUE ESTADUAL DO IBITIPOCA

Não é à toa que o Parque Estadual de Ibitipoca é um dos mais visitados de Minas Gerais. São 1.500 hectares de área protegida, o mesmo que 2.100 campos de futebol.

Para garantir a proteção da área, mantendo sua tranquilidade, por dia, somente é permitida a entrada de no máximo 600 pessoas. 

Para receber tanta gente que vem de longe, o espaço se modernizou, contando com centro de informações, restaurante e camping. São três as opções de circuito para quem quer fazer as trilhas, todas devidamente sinalizadas para quem quiser ir por conta própria.

Existem alternativas de caminhadas mais pesadas e até trilhas que contam com passagem por águas bem calmas, ideais para quem vai com crianças. 

Um dos pontos altos do Parque é a famosa Janela do Céu, localizada acima de uma cachoeira de 20 metros, onde correm águas douradas vindas do Rio Vermelho.

Existem também diversas grutas no Parque, como a Gruta dos Fugitivos, que recebeu esse nome por ser o lugar de refúgio de negros escravizados.

Já a Gruta dos Três Arcos tem 30 metros de extensão, espaço onde se pode caminhar com a ajuda das luzes que entram pelas fendas. 

Endereço: Para chegar, você precisa ir até a Vila de Conceição do Ibitipoca, que fica a três quilômetros da portaria do Parque. Se precisar de mais informações, ligue (32) 3281 1101

PARQUE DO RIO PRETO

A região atrai turistas pela fauna e pela flora conservadas e por guardar tesouros históricos, como pinturas rupestres e paredões de quartzo em uma área protegia de 12.184 hectares.

Localizado no município de São Gonçalo do Rio Preto, o parque está a aproximadamente 70 quilômetros de Diamantina.

A unidade de conservação está inserida no complexo da Serra do Espinhaço e foi o primeiro a receber o marco de referência da Estrada Real – que vai de Parati a Diamantina. 

Os recursos hídricos privilegiados favorecem a formação de cachoeiras, piscinas naturais, corredeiras, sumidouros, cânions e praias fluviais com areias brancas – todas abertas à visitação.

Entre os atrativos turísticos, destacam-se as cachoeiras do Crioulo e da Sempre Viva, as pinturas rupestres e os mirantes naturais, que permitem aos visitantes observar toda a área da unidade e do entorno.

O parque oferece 12 alojamentos, simples, mas confortáveis, para até 52 pessoas. Há também área de camping para 30 barracas. De quinta-feira a domingo, o restaurante serve comidas mineiras.

Endereço: Para chegar é preciso ir a São Gonçalo do Rio Preto e, de lá, seguir 14 quilômetros até a portaria do Parque. A estrada é de terra batida e bem sinalizada.  Para mais informações, ligue (38) 99765621.

PARQUE DO RIO DOCE

O Parque fica na região do Vale do Aço e em seus 35.970 hectares de área preservada está a maior floresta tropical de Minas Gerais. 

O lugar também é conhecido pela quantidade de água que guarda. São 42 lagos naturais, sendo que um deles é considerado um dos maiores e mais profundo do Brasil, chegando a 39 metros de profundidade.

Existem alojamentos e campings disponíveis dentro do Parque para quem quer ficar imerso nessa área verde cheia de surpresas.

Endereço: MG 760, Santa Rita de Marliéria. Para mais informações, ligue (31) 3824-6146

5 LUGARES PARA SE VISITAR EM BONITO

Município do estado de Mato Grosso do Sul, Bonito é considerado o pólo do ecoturismo do Brasil, afinal de contas o repertório de atividades é imenso, além das paisagens serem extraordinárias, fazendo jus ao nome ‘’Bonito’’.

Com tanto repertório, é até difícil escolher um roteiro para essa viagem, não é verdade? Mas não se preocupem, vamos te ajudar a se organizar para essa viagem!

Confira cinco lugares para se visitar durante a sua viagem para Bonito:

Gruta do Lago Azul

Grutas geralmente são lugares únicos, pois são bem preservados, com isso, passam uma essência incrível, fazendo até parecer que estamos visitando um cenário de filme.

A Gruta do Lago Azul não é diferente, com uma água cristalina e estalactites dos mais variados tamanho, essa gruta possui um charme e um visual único.

Por ser feito de calcário, as instalações são frágeis, por isso o trabalho de conservação é feito com muita disciplina desde 1978. Não é atoa que o belo visual foi preservado.

Passeio de Bote no Rio Formoso

Com um contato mais intenso com a natureza, esse passeio proporciona muita diversão e é ideal para as crianças a partir de 5 anos.

Além disso, a exigência física do passeio é nula e tem uma duração de duas horas, com isso da para aproveitar bastante o visual da região.

Vale ressaltar que as águas deste rio são mais turvas, pois o rio é mais fundo, não tem nada ligado com poluição.

Buraco das Araras

Para quem gosta do contato com animais exóticos, o Buracos das Araras não pode faltar.

O entretenimento vai depender da sorte, pois as Araras vivem soltas, não há um controle. A dica é visitar o Buraco das Araras em épocas de reprodução, pois é o período onde as aves fazem diversas revoadas, podendo ser facilmente avistadas.

Normalmente a visita aqui não ocupa tanto o seu tempo, mas mesmo assim pode ser uma experiência fascinante.

Flutuação no Rio Sucuri

Para aproveitar as águas cristalinas da região de Bonito, as atividades de flutuação são obrigatórias.

Lembrando que é necessário usar equipamentos adequados, porém não se preocupe em comprar, pois caso você não tenha, eles emprestam um kit completo.

Vale ressaltar para aqueles que estão com medo de fazer essa atividade, há uma fase de teste antes, para você já ir se adaptando.

A ideia da flutuação é observar a vida marinha da região e, lógico, curtir o contato com a natureza.  

Abismo Anhumas

O Abismo Anhumas é completo e muito bonito, além de flutuação, proporciona aos visitantes uma descida de rapel, de 72 metros.

Além da água cristalina, outro detalhe marcante da caverna fica por conta das estalactites, que estão presentes nos mais variados tamanhos e espessuras, causando um contraste magnífico dentro da gruta. 

Crie o Impossível 2019

Crie o impossível 2019 foi um daqueles eventos que quem foi, nunca vai esquecer. 10 mil alunos de escola públicas de Belo Horizonte e região metropolitana lotaram arquibancada norte do Estádio do Mineirão para ouvir e ver que é possível sim ter um futuro melhor. 

Sobre o evento:

O Crie tem como objetivo despertar sonhos e abrir perspectivas para os jovens estudantes do ensino médio de escolas públicas de Belo Horizonte.

Para isso uma equipe de empreendedores, sonhadores e realizadores que por meio de suas histórias mostram que é possível empreender sua própria história e cria o (im)possível.

Quem palestrou:

Ludmila Ximenes,  Gerente de Relações Institucionais do Mineirão,

Renê Silva, Empreendedor do Complexo do Alemão; 

Leo Farah, Capitão do Corpo de Bombeiros; 

Kdu dos Anjos, Fundador do centro cultural “Lá da Favelinha”; 

Dandara Elias, Fundadora do “Todo Black é Power”; 

Wagner Espeschit, Médico Cirurgião e Empreendedor; e 

Guilherme Menezes, Co-fundador do Embaixadores da Educação.

Farah, capitão do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais fala um pouco da parceria da NEREA com ele e com o Crie o Impossível 

“Esse ano realizamos a segunda edição do crie o impossível, que é o maior evento de impacto social  para escolas públicas de empreendedorismo do Brasil. Mais uma vez pudemos contar com a equipe Nerea para montar a famosa tirolesa e uma rota de rapel.

O rapel foi uma ideia para chegar de forma impactante, fazendo uma demonstração para o alunos e a tirolesa é algo fantástico por ser uma atividade que os próprios estudantes têm que vencer muitas vezes  o medo de altura e se arriscar, se jogar e se divertir.

Contamos muito com as pessoas que realmente estão lá para doar um pouco do seu tempo, para doar um pouco da experiência do que sabem fazer de melhor. No caso da Nerea os esportes de aventura.

Isto faz a diferença na vida de cada um desses alunos de escola pública. Muitos deles jamais poderiam vivenciar essa experiência. Isso ajuda a cumprir nosso objetivo de impactar a vida desses jovens que um dia farão a mudança no nosso mundo ” 

Tirolesa e Rapel Nerea no Mineirão

A Nerea foi responsável novamente pela montagem e operação da tirolesa de 120 metros de comprimento que saia da arquibancada e terminava dentro do campo

E esse ano a Nerea teve privilégio de montar a rota de rapel para o Farah chegar para fazer a sua excelente palestra!  O rapel iniciou na cobertura do Mineirão e terminou na arquibancada. Uma chegada triunfal e única deixando todos ainda mais impressionados com a grandeza do evento.  

O rapel no Mineirão, teve aproximadamente 50 metros de altura. Todas as questões de segurança foram tomadas. Um exemplo são os EPI’s utilizados, Capacete, luva de rapel, cadeirinha de rapel, mosquetão e freio oito de rapel, todos certificados e em bom estado de conservação.

Os mesmos cuidados são tomados na montagem e operação da tirolesa, que mais uma vez foi um sucesso.

É o que sempre dizemos: Tirolesa no Mineirão não é para loucos, é para poucos! Mas não foram tão poucos assim. Ao todo, quase 100 descidas de tirolesa garantiram muita adrenalina para os alunos que participaram.

Trabalhamos com oito monitores treinados e capacitados pela Nerea. Pensando ainda na total segurança de todos, utilizamos equipamentos de qualidade e certificados.

Veja mais depoimentos de quem planejou e de quem participou desse dia tão especial

Vamos começar por um grande pelo João Guilherme, Diretor da Faculdade Arnaldo, uma grande apoiadora do evento.

“A participação da Nerea no Evento Crie o impossível é única. Torna possível proporcionar uma experiência diferente e com muita segurança. Contar com uma equipe que realmente entende do assunto, leva para o evento algo diferente, mas ao mesmo tempo uma situação com total controle.

 O Crie O Impossível é um evento voltado para alunos do ensino médio da rede pública de BH e algumas cidades da região metropolitana. Tem por objetivo mostrar para esses alunos que o futuro deles também está na mão deles, não podem ficar só esperando algo sem realmente tentar fazer algo por si próprio.

O evento leva palestrantes que dão TED’s, que são palestras curtas, de pessoas que tem uma experiência profissional de sucesso, e que vieram que de uma condição socioeconômica também um pouco mais baixa. Apresenta histórias de pessoas comuns que sobrepuseram na vida pela sua vontade própria, por empreendedorismo, por acreditar nos seus sonhos.

A Faculdade Arnaldo acredita muito no projeto porque acreditamos que somente através da educação de qualidade aliada a força de vontade dos alunos que está recebendo essa educação é que vamos conseguir mudar o mundo. 

https://www.faculdadearnaldo.com.br/




O coordenador da tirolesa Nerea também contou um pouquinho da sensação de fazer parte desse projeto desde sua primeira edição:

“Para nós da Nerea participar pela segunda vez do Crie o Impossível é muito importante, vimos o projeto nascer e acreditamos muito nele. Acreditamos que podemos sim criar o (im)possível e mostrar para esses jovens que existe várias possibilidades boas em seu futuro.

A tirolesa é uma atividade inclusiva, nesse ano tivemos pessoas com deficiência se divertindo com a tirolesa.  Um deles, que não possui o sentido da visão, teve o prazer de sentir o vento em seu rosto e o frio em sua barriga.

O Palestrante da Faculdade Arnaldo, Walisson, atleta e um Ironman, chegou de tirolesa para sua palestra.

Assim como ele superou mais esse desafio, várias pessoas que tinham medo também superaram e amaram. São momentos únicos para os praticantes e para nós também, que venha 2020″ 

Por fim, vamos ver também o que dois monitores da Nerea, que operaram a tirolesa durante o evento, disseram sobre o evento:

“O Crie o impossível é incrível. Fazer parte da equipe Nerea nesse momento, que se mostrou unida, organizada e eficiente foi um prazer”, disse Walisson

“A ideia dos organizadores do Crie o Impossível é excelente, trazendo de forma descontraída a pauta da possibilidade de um futuro melhor para adolescentes de baixa renda. A tirolesa foi a uma das maiores atrações na minha visão, e a equipe em geral soube desempenhar um excelente trabalho”, completou Nicolas.

O Crie o Impossível é realizado pela ONG Embaixadores da Educação. Acesse  www.crieoimpossivel.com.br para conhecer mais e ser um apoiador deste projeto inovador e de extrema importância.




5 LENDAS DO CAMINHO DE SANTIAGO

O Caminho de Santiago de Compostela é famoso por ser uma peregrinação bastante movimentada desde a sua criação. Por ser um caminho religioso e já ter sido atravessado por milhares de pessoas, importantes ou não, essa peregrinação possui diversas lendas.



Vamos contar 5 dessas lendas aqui para você, o que vai te deixar ainda com mais vontade de conhecer a peregrinação Caminho de Santiago de Compostela.

Leia também:

A lenda do txori

Primeiro, vamos reforçar que txori nada mais é que pássaro no idioma basco. Segundo, essa lenda acontece no caminho francês, que é considerado o principal.

Alguns locais e até mesmo os peregrinos, começaram a reparar que um passarinho vinha periodicamente limpar a estátua da virgem Maria com as suas asas. O animal tirava a poeira e as teias de aranha que eram tecidas na estátua.

Além disso, o animal ainda levava em seu bico uma quantidade de água que usava para auxiliar na limpeza da estátua.

Desde então, as visitas dos txoris começaram a ser consideradas anúncio de bons presságios. A lenda, infelizmente, não existe mais, pois a torre onde a estátua da virgem Maria estava localizada foi destruída.

A lenda da Fuente Reniega

No ápice do verão, um peregrino sedento em busca de água foi impedido de usufruir da fonte por um jovem, que segundo ele, era a personificação do diabo.

O jovem deixaria o peregrino beber da fonte, porém ele teria que renunciar a sua aceitação ao apóstolo Santiago, ou seja, renunciar a sua religiosidade.

A proposta foi feita três vezes e foi recusada, até que o peregrino começou a orar e isso fez com que a personificação do mau desaparecesse, então a sede foi finalmente saciada.

O Cavaleiro das Conchas

Na vila de pescadores, próxima da costa e da cidade de Vigo, acontecia uma cerimônia de casamento.

Nesse tipo de evento, é tradição jogar uma lança e tentar pega-la no ar montado em um cavalo. Porém, nesse dia uma corrente de ar desviou a lança e levou ela para o mar, bem na vez do noivo.

Disposto em vencer o jogo, ele mergulhou no oceano para conseguir pegar a lança, porém ele não retornava. Uma jangada do apostolo Thiago viu a cena e se aproximou para ajudar.

A ajuda não foi necessária, pois o noivo, juntamente do seu cavalo, emergiu das águas, coberto por conchas e com a lança na mão. Desde então, a concha se tornou um símbolo de devoção e virou um dos elementos mais representativos do Caminho de Santiago de Compostela.

O burro do Apóstolo

Durante a peregrinação, um homem, sua esposa e dois filhos, pararam para descansar em um albergue, porém durante o repouso sua esposa adoeceu.

Por isso, eles tiveram que ficar mais tempo que o previsto no alojamento, no entanto, sua esposa não resistiu e acabou falecendo. Mesmo assim, ele decidiu continuar trilhando o caminho até o fim.

Porém, ele precisava pagar a estadia no albergue, como não tinha dinheiro, ofereceu o seu burro de carga para o dono do lugar e seguiu caminho.

Continuando o caminho, o pai, junto com os seus dois filhos, orou para o apóstolo pedindo ajuda. Após isso, o trio encontrou um velhinho que, para ajudá-los, entregou um potro(pequeno eqüino) para eles.

No retorno do pai e de seus filhos, eles trilharam o mesmo caminho e passaram pelos mesmos locais, inclusive o albergue, onde receberam a notícia que o dono também havia falecido e tudo indicava que o óbito foi um castigo divino pela ganância do dono do alojamento.

A lenda da Virgen Del Puy

No caminho francês da peregrinação de Santiago de Compostela, um grupo de pastores estava reunido com suas ovelhas quando de repente avistaram um monte de estrelas caindo do céu, meio que indicando uma localização.

O grupo foi até o lugar, encontrando uma caverna e dentro dela a imagem da Virgem. A intenção do grupo era mover a imagem e levá-la para uma paróquia, porém a estátua não saia do lugar.

Então, para proteger a imagem da Virgem, foi construída uma Basílica no local, a Basílica de Nossa Senhora de Puy.

Essas lendas servem para deixar o caminho de Santiago de Compostela ainda mais interessante, pois além de praticar uma atividade outdoor muito requisitada, você ainda vai estar conhecendo diversas histórias e contos da região.

5 DESTINOS PARA SE VISITAR NO SRI LANKA

Sri Lanka, conhecido antigamente como Ceilão, é um país asiático que inclui uma biodiversidade imensa!





No entanto, por causa de uma guerra civil que durou quase três décadas(1983 a 2009), o país ficou devastado e saiu dos holofotes dos turistas.

Agora, mais de dez anos após o fim da guerra civil, as belezas naturais do país vêm ganhando força, pois a ilha localizada no sul da índia se desenvolveu bastante em relação à infraestrutura.

Consequentemente, o turismo local cresceu e vamos te mostrar cinco motivos para ir até o Sri Lanka:

1 – Orfanato de Elefantes

Para os nativos, o elefante é um animal doméstico e sagrado, por isso lugares para cuidar do animal não faltam no país asiático.

O orfanato localizado em Pinnawala, cuida dos animais e realiza diversos programas de proteção da espécie, tirando os elefantes filhotes órfãos do meio selvagem e dando perspectiva de vida para eles, além de companhia de outros elefantes.

No lugar, os visitantes podem alimentar os filhotes e acompanhá-los no divertido banho no Rio Maha Oya.

Esse passeio é ideal para quem quer ter contato com uma espécie diferente, já que os elefantes são exclusivos da Ásia e África.

2 – Sigiriya Rock

Agora vamos para um contato mais intenso com a natureza, e vamos caminhar até o topo da Sigiriya Rock.

Essa pedra está localizada em um sítio arqueológico protegido pela UNESCO. Esse monte maciço possui 200 metros de altura e, no seu cume, guarda as ruínas da construção do palácio do Rei Kasyap, erguido no século 5.

A exigência da subida não é alta, com isso é bem acessível. Mesmo em ritmo lento, o trajeto não é demorado.

A Sigiriya Rock está localizada ao norte de Dambulla, localizada na região central do país.

3 – Bentota

Agora o destino é infalível, já que vamos para as praias, vamos nos banhar com as águas do oceano índico!

A pequena cidade de Bentota, é considerada a mais estruturada para turismo e possui um visual incrível.

Possui o litoral mais bonito do país, já que possui águas de azul turquesa. Nos hotéis que ficam a beira mar, é possível contemplar o horizonte infinito do oceano.

4 – Negombo

Ainda continuamos em um visual de praia, só que dessa vez vamos para Negombo, velejar até as piscinas naturais.

A praia de Negombo é muito tranqüila e é considerada um ambiente familiar, já que muitos dos nativos vão até ela para curtir o dia com a familiar.

Para chegar até as piscinas naturais, basta contratar um jangadeiro. O passeio costuma durar uma hora para ir e uma hora para voltar, mas vale muito a pena.

5 – Templo do Dente

O principal objetivo ao viajar é de conhecer uma nova cultura e uma nova história, na Ásia, há uma cultura muito diferente do restante do mundo, então visitar templos religiosos ou similares, precisa constar na sua lista de destinos.

O Templo do Dente é um importante templo budista do Sri Lanka, e tem esse nome, pois uma das atrações do local é, justamente, um dente de um Buda.

Esse dente possui um significado simbólico muito importante, já que quem possui esse dente, detém o poder político da região.

Gostaram dos destinos? Há ainda bastante preconceito e medo em cima do Sri Lanka, mas foram 10 anos se reestruturando, vale sim a pena dar uma chance para o país asiático e conhecer suas belas paisagens!